Skip to content

Rinoplastia

Rinoplastia

Atualmente é possível mudar a forma e tamanho do nariz buscando uma harmonia estética facial e respeitando as características individuais de cada face. No passado as rinoplastias eram basicamente redutoras com resultados muito semelhantes entre si, independentemente do paciente, resultando no chamado “nariz de plástica”, estigmatizando o paciente. Hoje em dia busca-se um equilíbrio entre o nariz e a face, respeitando-se as características pessoais e tendo como resultado narizes de aspecto natural.

A rinoplastia é um procedimento cirúrgico com grande impacto estético, uma vez que o nariz situa-se no centro da face. O nariz é uma estrutura complexa composto de cartilagens, ossos, pele, tecido conectivo, músculos e mucosa. Estes tecidos formam um complexo sistema de válvulas que tem a função de orientar o fluxo aéreo além de aquecer e umidificar o ar. Qualquer alteração neste sistema

pode causar problemas respiratórios. Os mais frequentes são os desvios de septo, hipertrofia de cornetos e problemas nas válvulas nasais. Os distúrbios respiratórios geralmente são tratados concomitantemente com as rinoplastias.

A cirurgia nasal estética teve início no final do século XIX com um cirurgião chamado Jacques Joseph, reconhecido como pai da rinoplastia moderna. Este tipo de cirurgia, basicamente redutora e ablativa (que diminui e resseca) foi o padrão até os anos 90, embora vários cirurgiões ainda a pratiquem hoje em dia. A ressecção pura e simples das cartilagens alares podem gerar problemas funcionais nas válvulas nasais e também alterações estéticas como pinçamentos e irregularidades, principalmente a longo prazo.

Atualmente existem técnicas modernas, que já na rinoplastia primária reconstroem as estruturas danificadas na própria cirurgia, minimizando-se assim maiores sequelas no pós operatório como os chamados enxertos afastadores (spreader grafts), as rinoplastias estruturadas e as rinoplastias com reconstrução funcional da válvula nasal interna.

Prefere-se realizar a rinoplastia conservadora, que modificam o tamanho e a forma do nariz sem destruir nenhuma estrutura anatômica. Este tipo de rinoplastia baseia-se na capacidade intrínseca das cartilagens de se modificar quando submetidas a uma leve abrasão. Desta forma, mesmo narizes muito grandes ou muito deformados podem ser tratados com excelentes resultados estéticos praticamente sem ressecções de cartilagens. A modificação estrutural das cartilagens nasais pode inclusive melhorar a ação de válvulas nasais incompetentes, melhorando assim a função.

A preservação das estruturas cartilaginosas nasais bem como a manutenção da função deste órgão assegura um resultado mais natural e permanente nas rinoplastias.

Rinoplastia
Back to top