Skip to content

Mamoplastia de Aumento: Lipoenxertia

Mamoplastia de Aumento: Lipoenxertia

LIPOENXERTIA

A gordura é uma das substâncias que compõe nosso corpo naturalmente. Ela serve como isolante térmico, fonte de energia , transporte de vitaminas e síntese de hormônios. É um tecido que não dá sustentação e estrutura, mas pode auxiliar na simetrização de partes do corpo como as mamas, reposição de volume, auxilia na correção de mamas tuberosas e rippling de próteses (quando aparecem ondulações visíveis na pele por não haver tecido suficiente recobrindo a prótese). No entanto, tem algumas desvantagens como quantidade limitada de volume a ser utilizada, possibilidade de absorção em 30 a 70%. Não há limite definido de enxertia, mas usamos um ideal de aplicar aproximadamente de 200 a 300 mL de cada lado por sessão de enxertia. Isso não é uma regra! E muitas vezes será realizada mais de uma LIPOENXERTIA até atingir resultado desejado! O procedimento é realizado em centro cirúrgico com anestesia geral. É realizada lipoaspiração de áreas pré definidas, nas quais haveria gordura localizada. Essa gordura é preparada e reintroduzida nos locais que desejamos. O pós-operatório exige repouso relativo, uso de cinta pós-operatória e drenagem linfática. Dependendo da absorção de cada lado isso pode ter prejuízo em manter as mamas mais parecidas, e também por isso pode ser necessário repetir o procedimento para atingir efeito desejado. Os riscos que podem ocorrer: formação de cistos, necrose gordurosa e infecção. Mas os riscos são mínimos e a cirurgia é segura desde que em mãos habilidosas e desde que haja preparo pré-operatório e indicação adequados.

Cada vez mais vemos a procura por esse procedimento, já que muitas mulheres não desejam usar implantes de silicone, ou naquelas que tiveram indicação da retirada dos mesmos. Saiba que: – NÃO há risco de REJEIÇÃO da gordura, porque ela é retirada da própria paciente – pode haver reabsorção de parte dessa gordura, em 30 a 70% e não há como prever isso – Não aumenta o risco de ter câncer de mama e não atrapalha o rastreamento para os mesmos à realização de mamografia, ultrassom pós-operatórios! Caso haja lesão suspeita ela será conduzida da forma tradicional com biópsia, acompanhamento… etc – Quantidades de enxertia em torno de 200 a 300 mL em cada mama são usadas de rotina e trazem menores riscos de complicação deixando as mamas bem bonitas! MAS ISSO NÃO SIGNIFICA QUE NÃO É POSSÍVEL ENXERTAR MAIOR QUANTIDADE! Não existe um limite definido!!! Sabemos que quanto maior o volume enxertado, mais riscos de embolia, necroses, formação de líquidos! – se a mama sofreu radioterapia anterior, é mais difícil a integração da gordura Pode ser realizada essa lipoaspiração apenas para a quantidade desejada de gordura para enxertar como fazer a lipoaspiração com objetivo de modelar áreas do corpo e ainda assim enxertar!

Não podemos deixar de lembrar que:
– A gordura é um tecido mais “mole” que a prótese.
– A gordura quando for injetada não estará dentro de um invólucro como as próteses, sendo portando “espalhada” naquela região.
– Há a questão de que parte dessa gordura poderá ser absorvida, não mantendo o volume igual quando enxertada!
– Há um limite ideal para que a enxertia seja a mais segura possível, minimizando os riscos de complicações.
– A mama tem um tecido que muitas vezes já não está tão estruturado, principalmente em mulheres que já amamentaram, que tem estrias, que sofreram algum processo de mudança de peso ou mesmo que explantaram tendo alteração da arquitetura mamária. Por isso, a gordura tende a se acomodar no bojo na mama, parte mais baixa, já que está solta ali dentro. –
– O tempo cirúrgico fica aumentado, porque a lipoaspiração e preparo de gordura é um procedimento que demanda mais tempo do que a colocação das próteses! Então, deve ser avaliado risco cirúrgico individual da paciente! O FATO DE TERMOS AS QUESTÕES ACIMA DE MANEIRA ALGUMA INVALIDA OS BENEFÍCIOS E A BELEZA DE UMA LIPOENXERTIA! Apenas é importante salientar que não dá para esperar um mesmo efeito na lipoenxertia como nas próteses, o mesmo formato, o mesmo volume! MAS A GORDURA NÃO VAI GERAR FLACIDEZ NAS MAMAS JÁ QUE SERÁ UM PESO A MAIS? Para entender isso temos que levar alguns fatores em consideração: tipo de pele, idade, quanto de gordura será enxertado, se essa mulher já amamentou ou não, critérios comuns de avaliação para qualquer cirurgia de mama. Também devemos levar em consideração que com o tempo a LEI DA GRAVIDADE atuará em todos nós e existe uma tendência natural de flacidez, principalmente se a pele não for de boa qualidade (com estrias, com mais flacidez…) ou se a mulher já for mais velha. Mesmo sendo um tratamento já utilizado desde 1893, ainda gera dúvidas. E mesmo sendo já estabelecido esse procedimento, terá os riscos inerentes a uma cirurgia como outras, mesmo que com preparo e prevenção da maior parte deles. Quais complicações podem acontecer? 1- cistos oleosos 2- necrose gordurosa 3- infecção 4- absorção excessiva da gordura

5- formação de tecido cicatricial ou calcificação. Vamos lá… para os CISTOS há uma correlação do uso de centrífugas no preparo da gordura, que aumentariam a formação desses. Não causam preocupação e geralmente serão acompanhados de forma conservadora, ou seja, não precisando de intervenção.
Para as NECROSES, acredita-se que o maior causador dessa seja quando se usam grandes volumes de enxertia e quando há manipulação da área enxertada com massagens. A necrose é quando morre parte do tecido. Como a gordura enxertada precisa se nutrir do tecido adjacente a ela, se o volume for grande, a parte central não receberá oxigenação e sofrerá necrose.
INFECÇÕES podem ser evitadas com preparo adequado do procedimento, uso de antibióticos e cuidados pós-operatórios. Para ABSORÇÃO alguns trabalhos sugerem uso de seringas para coleta de gordura porque seria menos traumático e lesaria menos as células (mas isso não é consenso ok) e hipercorreção para garantir que mesmo absorvendo ainda teríamos o volume desejado. A CALCIFICAÇÃO pode ocorrer em pessoas com cálcio sanguíneo normal. Os cristais de cálcio irão se depositar no tecido lesado. E apenas será tratada na suspeita de malignidade. Trabalhos já publicados demonstram que ela não dificulta o acompanhamento radiológico das mamas, pois imagens tanto dos cistos quanto de necrose têm aparência benigna.

Uma das maiores angústias das mulheres que serão submetidas a lipoenxertia nas mamas é se essa gordura trará prejuízo à avaliação futura das mamas, principalmente relacionadas a prevenção de tumores. Trabalhos apresentados pela sociedade brasileira de cirurgia plástica mostram que em longo prazo, não foi evidenciado nenhum caso de recidiva tumoral locorregional , o que acrescenta, até o momento, confiabilidade e segurança na lipoenxertia como arsenal para os tratamentos que visam melhorar os resultados da reconstrução de mama mesmo após tratamento oncológico. Ou seja, enxerto de gordura não causa tumor! Enxerto de gordura não impede avaliação e visualização das mamas. Enxerto de gordura não aumenta o risco de câncer de mama! Entretanto, novos estudos prospectivos e randomizados precisam ser realizados, buscando conclusões mais definitivas. A lipoenxertia é um método seguro, simples e efetivo.

Doutora Fabiana Catherino

Mamoplastia de Aumento: Lipoenxertia
Back to top